sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Um Conto Ligeiro



Joubert de Oliveira Sobrinho

...Acabam-se os nossos anos como um conto ligeiro. Salmo 90.9

Ano após ano tenho usufruído do privilégio de fazer o devocional semanal com os alunos do CRE – Centro Renovo de Educação, escola onde exerço a capelania. Em geral conto histórias para nelas destacar um ou mais princípios bíblicos e morais. Quando a história os surpreende, ao finalizá-las, ouço murmúrios e lamentos tais como: - AAHHH, já acabou? Conta mais...?!! As crianças gostariam que a história não acabasse.  Elas não percebem que o tempo passou e que precisam ir para suas classes.

Às vezes me surpreendo tendo a mesma reação, elaborando o mesmo murmúrio, o mesmo lamento, em relação ao nosso tempo da vida. Ela é como Moisés, autor do Salmo 90 escreveu: um conto ligeiro, um breve pensamento, um suspiro, um murmúrio... Essa  frustração soma-se a outros sentimentos de dor quando enfrentamos o fim da vida de nossos queridos. Assim como as crianças a eu gostaria que o “conto ligeiro” não acabasse e nem percebo que o tempo passou.

Há milênios Moisés escreveu este salmo 90 expressando argumentos que fazem par com nossas atuais percepções.
Destaco alguns versículos desta obra.

A dependência de Deus e sua natureza eterna
v.1  SENHOR, tu tens sido o nosso refúgio, de geração em geração.
v.2  Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu és Deus.

O salmista lembra que as gerações anteriores se refugiaram em Deus, e inicia seus argumentos mencionando a sua eternidade.
Deus é eterno, Isaías 44:6  Assim diz o SENHOR, Rei de Israel e seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e fora de mim não Deus. O autor de Hebreus, mencionando a divindade de Jesus, diz: Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente. Hebreus 13:8.

A ideia de eternidade que está na natureza divina também está no coração humano (embora não no corpo).
Eclesiastes 3:11  Tudo fez Deus formoso no seu devido tempo; também pôs a eternidade no coração do homem, sem que este possa descobrir as obras que Deus fez desde o princípio até ao fim.

Apesar da eternidade no coração, existe um limite para a vida do corpo
v.3  Tu reduzes o homem à destruição (ao pó); e dizes: Volvei, filhos dos homens.

Moisés certamente está se referindo ao texto de Gênesis 3.19 que ele próprio escreveu: No suor do teu rosto comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado, porquanto és pó e em pó te tornarás.

Desde que o pecado encontrou habitação na natureza humana, a morte passou a fazer parte da história do homem, a ser o fim do conto ligeiro, das histórias de vida, dos murmúrios fugazes.

A eternidade está disponível a nós pela Palavra de Deus
Pedro menciona a fragilidade de nossas vidas, de todas as nossas conquistas e aponta para a fonte da eternidade:
1 Pe 1 24,25 - Porque toda carne (nosso corpo) é como erva, e toda a glória do homem (bens, valores, conquistas), como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.

Não devemos entender a Palavra de Deus como um conjunto literário arcaico e religioso. Na verdade as Escrituras nos apresentam a Palavra de Deus como uma Pessoa, também chamada de Verbo, João 1.1-15, que é, Jesus. Ele é a Palavra de Deus, Apocalipse 19.13. E todos quantos recebem a Palavra de Deus, ou Jesus, se tornam eternos com Ele. Pedro menciona que esta Palavra-Pessoa que nos foi dada é a única coisa que permanecerá eternamente.

A vida como um conto ligeiro, fragmentos de uma história
v.9  Pois todos os nossos dias vão passando... acabam-se os nossos anos como um conto ligeiro.
Esta palavra hebraica também é traduzida como: murmúrio, suspiro, gemido, breve pensamento, um fato contado às pressas, proferido rapidamente.

Moisés expressa a brevidade da vida com estas palavras tão reais. Quantos se lembrarão de nós daqui há 100 anos? Basta pensar no volume histórico que conhecemos de nossos avós ou bisavós. O que temos são fragmentos. Quanto mais distante, mais desconhecido, salvo exceções. Se por alguma obra excepcional nossos nomes fossem parar numa placa de rua ajudaria? Passo todos os dias por ruas cujos nomes são expostos em todas as esquinas. Esses nomes são de pessoas que não sei quem são nem o que fizeram. Se eu procurar certamente encontrarei o histórico sucinto com informações principais, trabalho, datas de nascimento e morte.

Grandes personagens de nossa história podem ser mais conhecidos através de biografias e documentos. Porém, tudo é muito pouco em relação ao significado real da vida de cada um. A verdade é que a nossa memória estará nas mentes de nossos queridos mais próximos e depois se desvanecerá.

O limite da vida e nosso voo certeiro
v.10  A duração da nossa vida é de setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o melhor deles é canseira e enfado, pois passa rapidamente, e nós voamos (para longe).

A descrição poética de Salomão no texto abaixo dispensa comentários, Eclesiastes 12.1-7:

Lembra-te do teu Criador nos dias da tua mocidade, antes que venham os maus dias, e cheguem os anos dos quais venhas a dizer: Não tenho neles contentamento; antes que se escureçam o sol, e a luz, e a lua, e as estrelas, e tornem a vir as nuvens depois da chuva; no dia em que tremerem os guardas da casa, e se curvarem os homens fortes, e cessarem os moedores, por já serem poucos, e se escurecerem os que olham pelas janelas; e as duas portas da rua se fecharem por causa do baixo ruído da moedura, e se levantar à voz das aves, e todas as vozes do canto se baixarem; como também quando temerem o que está no alto, e houver espantos no caminho, e florescer a amendoeira, e o gafanhoto for um peso, e perecer o apetite; porque o homem se vai à sua eterna casa, e os pranteadores andarão rodeando pela praça; antes que se quebre a cadeia de prata, e se despedace o copo de ouro, e se despedace o cântaro junto à fonte, e se despedace a roda junto ao poço, e o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu.



A oração de Moisés
v.12  Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos coração sábio.

A palavra Sabedoria – chokmah - indica:
·       Habilidade (na guerra) - Ef 6.12; 1Tm 6.12 (combate da fé...toma posse da vida eterna)
·       Sabedoria (em administração) - 1 Pedro 4:11
·       Perspicácia, agudeza e penetração da vista, da inteligência;
·       Sabedoria, prudência (em assuntos religiosos) - 2 Pedro 2:1; 1 João 4:1 
·       Sabedoria (ética e religiosa) – conduta moral adequada, exemplar.
Andar de maneira sábia no curso da vida nos ajudará a usufruir o melhor dela. No entanto esta sabedoria vem de Deus. Ele é a fonte de sabedoria e a concede liberalmente a quem pede, Tiago 1.5.

A primeira busca
v.14  Sacia-nos de madrugada (de manhã) com a tua benignidade, para que nos regozijemos e nos alegremos todos os nossos dias.

Ideia que remete aos nossos primeiros valores. A quê damos a primazia em nossa vida? Jesus disse: Mateus 6.33Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.
Que a intimidade com Deus seja a primeira busca, o principal valor da vida. A promessa é de que, dali por diante, nossos dias serão repletos de alegria e as demais coisas nos serão acrescentadas.

Conseguimos ver o que Deus está fazendo em nossa história de vida?
v.16  Apareça a tua obra aos teus servos, e a tua glória, sobre seus filhos.

Há muitos que não veem, não percebem a obra de Deus na terra; não têm consciência da ação de Deus em suas vidas. Bom seria que relacionássemos as ações que reconhecemos serem divinas em nossas vidas. Precisamos nos lembrar delas em muitos momentos especiais, especialmente nas tribulações.

Daniel tinha plena consciência da soberania, da interferência, do mover de Deus na História humana. Daniel 2.20-22 - Falou Daniel e disse: Seja bendito o nome de Deus para todo o sempre, porque dele é a sabedoria e a força; ele muda os tempos e as horas; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e ciência aos inteligentes. Ele revela o profundo e o escondido e conhece o que está em trevas; e com ele mora a luz.

Clamor pelo propósito da vida
17  E seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos.
Deus quer nos saciar com o real sentido da vida. Ele quer nos livrar da angústia de não ter perspectiva do amanhã. Paulo diz que o que nos consola é a esperança da vida eterna em Jesus: Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. 1Tessalonicenses 4.13.

Deus quer que tenhamos uma história eterna
João 3:16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
João 17:3 E a vida eterna é esta: que conheçam a ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo, a quem enviaste.
Romanos 6:22,23  Mas, agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna. Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor.

O reino de Jesus é eterno e quem estiver com Ele em seu reino usufruirá de sua eternidade. O nosso conto ligeiro desta terra será substituído por uma história eterna com Deus.

Lucas 1.1-33 - E eis que em teu ventre conceberás, e darás à luz um filho, e pôr-lhe-ás o nome de Jesus. Este será grande e será chamado Filho do Altíssimo; e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai, e reinará eternamente na casa de Jacó, e o seu Reino não terá fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário