terça-feira, 22 de novembro de 2011

A entrega das chaves


A entrega das chaves






Joubert de Oliveira Sobrinho
Devocional CRE de 21.11.11

Quando uma pessoa compra um carro, novo ou usado, após todos os acertos de documentação e pagamento há um momento que se reveste de um significado especial: a entrega das chaves. Ao entregar as chaves para a outra pessoa o vendedor está dizendo: - A partir de agora você tem o direito de usar este carro como quiser; viajar com ele para onde você quiser, porque de acordo com os documentos, ele é seu.

O mesmo ocorre quando alguém compra uma casa ou apartamento. Depois de tudo regulamentado nos papéis e compromissos de pagamento, há um dia especial marcado para a entrega das chaves. É o dia em que o comprador adquire autoridade sobre o imóvel. A partir daquele dia ele pode se mudar para lá, alugá-lo, reformá-lo, enfim, assumir o direito legal, o poder de utilizá-lo conforme seus planos. Ninguém poderá impedi-lo de entrar e sair, abrir e fechar, morar ou deixar desocupado, porque agora ele tem as chaves.


Podemos ter a mesma ideia quando pensamos numa senha. Uma senha é uma forma de chave para se ter acesso a um computador, um celular ou outro aparelho eletrônico. Quem tem a senha tem poder ou autoridade para acessar as informações.

O que significa uma chave

Na Bíblia, ter as chaves significa exatamente isto: ter o poder de abrir e fechar algo ou situação; possuir autoridade de vários tipos sobre variadas áreas da vida secular ou espiritual.

Jesus reprovou diretamente a atitude dos doutores da lei porque eles tinham a chave para abrir a porta do conhecimento de Deus para o povo, mas eles a fechavam.

Ai de vós, doutores da lei, que tirastes a chave da ciência (conhecimento de Deus nas Escrituras); vós mesmos não entrastes, e impedistes os que entravam. Lucas 11.52


Eles eram chamados ‘doutores da lei’ porque eram escribas estudiosos das Escrituras sagradas. Eles participavam do Sinédrio, o mais alto tribunal dos judeus, uma das mais altas posições sociais.  Porém, desde o século segundo antes de Cristo, escribas leigos começaram a explicar e elaborar pontos minuciosos da lei sem qualquer referência às Escrituras, desviando-se de sua responsabilidade de ensinar as pessoas sobre as revelações divinas dadas ao povo. Se eles eram escribas conhecedores das Escrituras, cabia a eles a responsabilidade de ensinar o povo no caminho do Senhor. Mas eles não faziam isto. Pior, amaldiçoavam o povo por não conhecerem as Escrituras: Mas esta multidão, que não sabe a lei, é maldita. João 7.49. De acordo com Jesus, eles tomaram para si a chave que abre a porta do conhecimento de Deus, as Escrituras. Entretanto, por não crer, nem eles conheciam a Deus e sua vontade, nem permitiam a outros este conhecimento.

As chaves em outras mãos

Então Jesus prometeu que as chaves do reino dos céus estariam nas mãos de outras pessoas, isto é, de seus discípulos, para que ninguém mais fosse impedido de conhecer a Deus e sua vontade. E disse isto diretamente para Pedro e depois para todos os demais.

E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. Mateus 16.19


A revelação que Pedro teve de que Jesus era o Messias seria a revelação disponível para todas as pessoas que viessem a crer. Caberia aos discípulos espalharem a mensagem do evangelho assim que Jesus os enviasse, porém, sempre debaixo de sua autoridade, isto é, usando as chaves. Essas chaves estariam disponíveis na autoridade do nome de Jesus. O poder do Espírito Santo, então, se manifestaria sob a autoridade do nome de Jesus.

E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão. Marcos 16.17-18

Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles. Mateus 18.20

E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. João 14.13


As três chaves

Jesus já usava estas chaves durante a sua vida (ele ensinava a Palavra, curava enfermos, ressuscitava mortos, multiplicava pães e peixes), porém, Jesus teve que morrer e ressuscitar para conquistar definitivamente as chaves do reino, da morte e do inferno (hades, lugar dos mortos):

E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi (chave do reino); o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre, Apocalipse 3.7

E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte (entidade que absorvia as vidas) e do inferno (hades, lugar dos mortos). Apocalipse 1.18

Chave de Davi, Chave da morte, Chave do Inferno

Se você crê em Jesus como Senhor e Salvador de sua vida, ele partilhará com você as chaves dele, para que você espalhe o conhecimento de Deus pelo mundo. Receber a Jesus é semelhante ao momento da "entrega das chaves": você abre sua vida para ele entrar e ele lhe entrega as chaves que custaram sua vida.

O presente mais valioso do rei

É semelhante à história de um rei muito rico que tinha um reino poderoso e glorioso. Ele queria demonstrar a honra e a confiança que depositava de um grupo selecionado de amigos e súditos fiéis. Começou, então, a pensar em como poderia fazer isto de maneira melhor. Pensou em lhes dar um premio em dinheiro, pensou em dar a cada um uma jóia de grande valor, ou um pedaço de terra de seu reino... Mas nada disto eles precisavam de fato. Até que teve uma ideia.

No dia de uma festa o rei chamou seus amigos fiéis, que incluía homens e mulheres e disse:

- Pensei muito tempo em como honrar vocês e demonstrar minha confiança na fidelidade por todos estes anos em que me ajudaram a reinar. Concluí que qualquer riqueza que lhes desse não expressaria meu real apreço. Como sabem, no palácio onde vivo está tudo que é mais valioso para mim: minha família, meus parentes, meus servos e súditos que representam a população de meu país, meus documentos, minha riqueza, enfim, em meu lar estão meus maiores valores. Sendo assim, a melhor maneira de premiar meu seleto grupo de amigos e amigas é lhes dar uma cópia da chave da porta principal de minha casa, o palácio real. Vocês que a partir de agora hão de possuir esta chave poderão entrar em meu lar a qualquer momento do dia ou da noite e serão bem recebidos.

Assim os amigos do rei se inclinaram perante o rei sentindo-se muito honrados. Depois disto, eram vistos a caminhar pela cidade, uns com as chaves penduradas em ricos colares ao redor do pescoço, outros as levando penduradas em seus cintos. Onde quer que fossem eram reconhecidos como os fiéis amigos do rei, porque eram dignos de possuir a chave do portão do palácio real.

Se você receber em sua vida a Jesus Cristo, o verdadeiro rei, haverá um momento especial em que ele mesmo lhe entregará a chave com a qual você poderá abrir e fechar situações e circunstâncias na autoridade de seu nome. Seja um amigo fiel de Jesus.



2 comentários:

  1. bahia,, kk to me vendo no globo cara colca um chat aí

    ResponderExcluir
  2. Bom o que significa alguém dizer para você: te entrego uma chave de responsabilidade?

    ResponderExcluir